02/05/17

“a mulher que gostava de virgulas”


phot. olena kassian

começou, a dada altura da vida, a trocar vírgulas.
talvez porque não tivesse beijos.
e beijos e vírgulas eram para ela das coisas mais bonitas.

nunca conheceu homens que lhe dessem beijos.
mas conheceu muitos que lhe deram reticências.
e a brindaram com pontos finais.
já as vírgulas, que era o que ela queria mesmo, nada.
ela queria, queria o impulso, a paragem brusca, a interrupção premente.
ela queria o retomar depois de uma frase, um afago, um segredo.
mas não, nada.
apenas composições erráticas, sem pejo, sem assombro.

talvez por isto tudo se tenha tornado numa mulher um bocadinho estranha.
que se note bem – um bo-ca-di-nho estranha.
dizia-o, este “bocadinho”, com uma boca afrancesada, pintada com batom sem cor.

talvez por isto tudo não tenha feito testamento,
talvez por isto tudo não tenha guardado os beijos nem os homens,
e talvez por isto tudo nunca tenha dito a ninguém,
que o nome que gostaria que lhe tivessem dado
era
“ a mulher que gostava de virgulas”.

19 comentários:

Isabel (Bekas) disse...

Tão lindo o nome dessa mulher e a tua história. Bjo. Mãe Maria.

Isabel (Bekas) disse...

Tão lindo o nome dessa mulher e a tua história. Bjo. Mãe Maria.

Nana Flor disse...

Oiee amore .... tenha um lindo mês de maio .... que Deus realize todos os seus projetos .... bjinhos com carinho ...

Deus te abençõe ..... Se desejar venha me seguir ok amore ... bjus

luisa disse...

Adorei esta história, Laura!

redonda disse...

Gostei muito da "mulher que gostava de virgulas" fiquei com pena que não tivesse tido imensas vírgulas na sua vida
um beijinho

Maria Eu disse...

Uma vírgula sabe bem, dá para retomar o fôlego. :)
Tão bom, isto!

Beijo, Laura :)

Janita disse...

Olá, Laura.

Também gosto de vírgulas, e muito, fazem-me respirar fundo e retomar a linha do pensamento.:)

Andei a procurar a tua lista de seguidores e não a vi. Não tens? Pronto...são opções!

Grata pela visita. Como já estás na minha lista, cá voltarei sempre que haja algo de novo. :)

josé luís disse...

um,bo,ca,di,nho,es,tra,nha,es,ta,his,tó,ri,a

Laura Ferreira disse...

Isabel, obrigada.
gosto do teu nome :)

Laura Ferreira disse...

Nana, obrigada pela visita. :)

Laura Ferreira disse...

Luísa, esta noite andei à procura de vírgulas :)

Laura Ferreira disse...

Gabi, as minhas mulheres das histórias andam sempre à procura de alguma coisa :)

Laura Ferreira disse...

Uma vírgula até dá para outra história, Maria :)

Laura Ferreira disse...

Janita, também eu gosto delas.

Sei que tenho uma lista de seguidores algures, mas não sei muito bem onde.

O que importa é que já te tenho na minha lista e também voltarei sempre :)

Laura Ferreira disse...

José Luís,

fi-zes-te-me rir :)

Alaska disse...

sabes, depois de ler esta tua história, passei a gostar delas. tenho por hábito de me esquecer de umas quantas. :)

um beijo nesse teu coração. :)

Olvido disse...

Li-me, na tua história menos, na parte de gostar de vírgulas, porque fogem-me, sempre para os sítios, errados deve ser, daquilo que falas: pouca experiência com vírgulas... aqui é mais reticências e pontos finais. Isso, dão-me, com fartura... E não é um bo-ca-di-nho é mesmo um BO-CA-DÃO :)))
(sim, foi de propósito ;) )

Laura Ferreira disse...


Alaska eu adoro-as
Às vezes sinto-as no meu respirar :)

Laura Ferreira disse...


Olvido olha que as vírgulas são mesmo importantes, se colocadas no lugar errado dá-nos um nó :) mas isso também pode ser bom porque nos obriga a pensar fora da caixa :)

Arquivo