28/06/17

“One Year on a bike”



O que é que pode levar um ser humano a pegar numa bicicleta e, durante um ano, percorrer mais de 17.000 km?

A resposta a esta e outras questões está no livro - “One Year on a bike”, de Martijn Doolaard.
Ele que viajou de bicicleta, de Amsterdão a Singapura, via Turquia, Irã, Ásia Central, Índia e Sudoeste Asiático; uma aventura repartida entre desertos, terras altas, metrópoles e áreas inóspitas.
Pelos vistos o livro é muitíssimo recomendado não só pela aventura em si mas sobretudo pela lição de vida designadamente a auto-descoberta.

Acho que o vou comprar para o meu rapaz, de surpresa, ele que gosta tanto de biclas e que neste fim-de-semana vai estar em Famalicão, a fazer as 24h.

Como eu gostava de embarcar numa aventura destas; não precisava de ser de bicla… porque se fosse seria preciso outro ano…

(GM, lembrei-me de ti.)

8 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Não me importava de a fazer apenas pelo prazer de viajar!!!

Gaja Maria disse...

Que fantástico Laura e vou procurar o livro, tenho de o ler. Será que ele tem blog?, sigo alguns de pessoas que passam a vida a viajar, até o de uma mãe Holandesa que viaja com a sua bebé num atrelado preso à bike. Enormes liçoes de vida :)

Luis Eme disse...

Maluquices, Laura, das boas. :)

Victor Barão disse...

Tive a seu tempo o forte impulso de viajar pelo exterior: de bicla, a pé, em transporte motorizado próprio ou à boleia doutrens, etc., mas as circunstancias da vida levaram-me a viajar de todo mais pelo meu próprio interior. E não sei como e por quanto contabilizaria isso em equivalentes Km terrenos, mas seguramente já por muitos milhares!...

De qualquer modo e até por isso, muito admiro quem viaja pelo exterior _ no mais substancial sentido do termo viajar, em verdadeiro e efectivo contacto com a substancial realidade de cada local e/ou de cada momento, tal como dalgum equivalente modo creio que sucede com quem viaja pelo seu próprio intimo, tendo de pelo melhor e pelo pior contactar com a sua mais profunda essência; em qualquer dos casos com todos os prazeres e proveitos, mas também com todas as dificuldades e riscos inerentes!

Ah! Mas as minhas viagens interiores, incluem para além dalgumas necessárias incursões exteriores, também e sempre que se proporciona viagens literárias, pelo que dada a referência aqui deixada pela Laura, pode que eu venha a adquirir o livro em causa.

Abraço e boas viagens ;)

Laura Ferreira disse...

Graça, sim, eu também não :)

Laura Ferreira disse...

GM, acho que ele tem blog; o link que descobri só tem a "capa" do Blog...

Laura Ferreira disse...

Luís, maluquices destas são saudáveis, não é?

Laura Ferreira disse...

Vitor, as viagens interiores são tão bonitas, também :)

também vou ver se compro o livro :)

Arquivo