12/12/17

Siri Hustvedt, “Aquilo Que Eu Amava”

É provavelmente um dos livros mais densos que já li.
Daqueles que me fazem voltar atrás. marcar o canto de uma página. suspirar e parar para ler uma coisa mais "leve". Rever um capítulo. Revisitar uma frase.

Siri Hustvedt conduz-nos pela história de duas famílias, através da voz de uma das personagens (masculina) e ilustra de forma pormenorizada e vibrante a situação da arte e as suas tendências na Nova Iorque dos anos 80.

É um livro que fala de relações familiares, de exposições e instalações, de dor, perda, descoberta e partidas. Sobre o Outono da vida, sobre a solidão.

Foi dos livros que mais demorei a ler.

9 comentários:

Cherry disse...

Parece-me ser interessante :).
Beijinhos,
Cherry
Blog: Life of Cherry

Cadinho RoCo disse...

Pela sua publicação percebe-se a força do livro.
Cadinho RoCo

Janita disse...

Intriga-me um pouco, quando referes a densidade do enredo e tens de interromper a leitura indo ler algo mais leve.
Quando encontro um desses livros não me poupo nem sossego, sem chegar ao final.
Vou tentar encontrar "Aquilo que eu Amava".
Obrigada pela partilha, Laura.
Excelente sugestão. Ando a precisar de ler algo assim forte. :)

Beijinhos

CCF disse...

Também fiquei curiosa, obrigada pela sugestão.
~CC~

Marta Martins disse...

Adorei ler o post, boa dica!

Cidália Ferreira disse...

Acho bastante interessante.

Beijo - Boa noite

Andreia Morais disse...

Não conheço, mas parece-me interessante!

r: E estás no teu pleno direito :)

Beijinho grande*

Os olhares da Gracinha! disse...

Iria gostar de ler!!!bj

Existe Sempre Um Lugar disse...

Votos de Feliz Natal,
AG

Arquivo