31/01/17

concurso nacional de Teatro Conte 2017



O “antes” é, nas coisas importantes da minha vida, quase tão importante como as coisas propriamente ditas.
O “antes” para mim é a preparação, o tanto que se fez antes de se lá chegar, o que se aprendeu, o quanto foi superado, o quanto foi sentido.
No próximo dia 11 de fevereiro o “Palco de Babel” vai estar a concurso na XIII edição do Conte – Concurso Nacional de Teatro 2017.
Mas antes de estar de estar em cena, nesse dia, está em mim outra vez, hoje, como se fosse Julho. Como se fosse estreia. E volto a ele com o calafrio obra feita, com a emoção de o deixar sair-me da mão. Soltá-lo e deixá-lo ir, mais uma vez.
O “antes” é acima de tudo, no Teatro, a minha coisa verdadeiramente importante.



Dramaturgia e Encenação
Laura Avelar Ferreira

(a partir do original de “Palco de Babel”, de Luís Campião, vencedor no ano de 2015, da 19ª edição do concurso “Inatel / Teatro Novos Textos”.)

Interpretação:
Ana Cruz, Ana Sousa, Diana Pereira, Emílio Cruz, Hélio Rebelo, Joaquim Costa, Maria Fontes e
Maria João Pereira,

Participação, em vídeo / off: Diana Pereira, Joana Melo Costa, Juliana Leite, Laura Avelar Ferreira, Maria Leonor Rebelo, Núria Melo, Hugo Simão Pereira, Paula Galante, Vítor-Hugo Oliveira.

Cenografia:
João Paulo Pereira e Octávio Pereira

Desenho de som:
Flávio Oliveira

Desenho de luz:
João Pereira

Vídeo:
Tiago Silva

Fotografia:
Francisco Ferreira de Almeida

Figurino:
Ana Sousa, Maria Fontes, Paula Galante e Paula Nogueira

Maquilhagem:
Paula Galante

Assistente Encenação:
Elisabeth Trindade

Design gráfico:
Nuno Sousa Pereira / Laura Avelar Ferreira

medida


phot. Pierre Pellegrini



andou anos a querer ser a árvore mais alta.
quando passou a ser, desejou ser a mais pequena.
hoje em dia só quer ter pássaros nos braços
e que as folhas voem em adejos pequenos e pueris.

Alexey Kondakov - o ontem e o hoje numa simbiose perfeita

Alexey Kondalov é Ucraniano, e levou figuras de pinturas clássicas para dentro de imagens reais, em Nápoles.

http://kondakovnapoli.tumblr.com/

30/01/17

"The Crown" - série

confesso que andei umas semanas a mirá-la, na televisão, sem lhe ligar grande importância.
não sei se por causa do tema - reinado de Elizabeth II- se por ser considerada uma das séries mais caras e de produção ambiciosa destas andanças do serviço de streaming.
lá acabei por ver o primeiro episódio. ainda sem grande opinião formada passei ao segundo. e a partir daí tenho-os devorado calmamente a absorver e a degustar os inúmeros pormenores: a produção esmerada, a composição estética dos planos, a luz, os decors e os figurinos magnificamente recriados por Michele Clapton (que já tinha brilhado na Guerra dos Tronos).

a série é baseada na aclamada peça de teatro "The Audience" e deambula não só pelo reinado da soberana mas  também pelas "intrigas pessoais, romances e rivalidades políticas por trás dos grandes eventos que moldaram a segunda metade do século 20."

https://www.theguardian.com/tv-and-radio/2016/nov/04/the-crown-review-netflix-100m-gamble-on-the-queen-pays-off-royally


Sanchez & Mongiello


27/01/17

para ouvir com um copo de duas quintas branco.

https://www.youtube.com/watch?v=DlwnQCNH270

estufa emocional

phot. Vivienne Bellini

este fim-de-semana vou plantar na pele
as mãos de todos aqueles que precisam das minhas mãos.

26/01/17

dúvida da tarde

dos livros e da música já sei que sim.
mas,
será que sabemos mais dos outros pelos jornais que eles leem?

aqui há uns anos diria que sim; nos tempos que correm já não sei.
será que não é mais "saber mais dos outros pelas aplicações que eles baixam?"


fotografia que me faz ir à lua e voltar

Maria Svarbová 

e a série "In the swimming pool"

25/01/17

eu não gostava de ser rica só por ser

se eu fosse rica saberia bem o que fazer ao dinheiro...

por exemplo:

http://treehotel.se/en/


agent provocateur


comprei-o a primeira vez em Paris, porque achei piada ao aroma e à embalagem.
nunca mais deixei os perfumes deles, desde então.

recomendo a ida a uma destas lojas, a todas as mulheres. pela sedução, pelo esmero no atendimento, pela luxúria em que ficam os sentidos, pelos cheiros, pela luz, pelos livros, pela arte espalhada em forma de roupas, acessórios e mulheres que a frequentam.

sempre que lá vou deixo os meus olhos pousados em tantas coisas.

(e sempre que ponho estes perfumes sinto-me uma mulher especial)


24/01/17

check list

phot. anna o

já fiz o jantar de hoje e o almoço de amanhã.
já assoei o nariz vinte e sete vezes.
já ouvi os queixumes das minhas gatas mimadas de meia idade.
já vi o último episódio dos Vikings da semana.
já vi meio episódio do "The Crown".
já fiz meia dúzia de carreiras no meu colete.
já pus a Bernarda Alba e as cinco filhas a caminharem numa sala, da minha cabeça, antes de as por a andar amanhã na sala de ensaios.
já pensei que as hormonas andam todas cá dentro aos pinotes a darem-me cabo da mona.
já chamei nomes feios ao Trump.
já li as quatro notícias do The New Yorker, do Jornal Económico, do I e do New York Times.
já conheço a lista dos nomeados para os Óscares de 2017.
já tenho os olhos sem pinturas.
já tenho o corpo mais quente.
já tenho o peito mais leve.

Já só penso em deitar-me na minha cama para me ver sair do peito a Primavera que hoje preciso.
(para dormir.)

passear-me nos olhos

(autor desconhecido)

gostava de ser sombra de olhos por um dia
para passar esse dia a passear nos olhos de uma qualquer mulher bonita.

Arquivo