07/02/18

este meu sítio imaginado do ar

respiro à noite, quando chego a casa, depois de um dia em que couberam horas de quase uma semana,
quando me sento no sofá já perto do sono a pique
e me lembro deste meu sítio, onde tenho vindo pouco, mas a quem gosto muito (tanto).

ponho-me a escrever no ar, no espaço, com uma caneta invisível, bonita, de tinta irrepreensível e Português acertado,
escrevo uma coisa pequena, porque pequeno é o tempo que tenho.
curioso como já não me sinto tão longe daqui.

ainda bem que um dia, em pequena, fiz um pacto com a minha imaginação.
e lhe disse, ao ouvido, coisas que me fizeram acreditar hoje, em adulta,
que o tempo e o espaço são matéria e facto,
mas também são abstracto e são aquilo que eu às vezes quero que sejam.

(ontem quis muito que o espaço e a noite fossem este meu sitio.)

15 comentários:

noname disse...

Nada como um papel de ar, canetas invisíveis e uma imaginação soberba :-)


Isabel Pires disse...

Pois é, Laura, tens andado tão afastada daqui...
Mas continuas igual, que bem vejo :)

ana disse...

Hoje pensei em ti.

Os olhares da Gracinha! disse...

Imaginar e ser criativa não é para todos!
Gostei de ler!!!bj

Cidália Ferreira disse...

Belíssimo, gostei de ler.

Beijos

Olvido disse...

E fazem falta as tuas palavras por aqui, Laura. Esse teu olhar doce que deixas nas palavras, e que uma pessoa se habitua a ler todos os dias, faz falta :)

Andreia Morais disse...

Nada como as palavras para encurtarem as distâncias!
Gostei muito *.*

Gil António disse...

Olá, boa tarde. Visitando, gostando e elogiando a escrita que, de forma sedutora, aqui é publicada. A imagem é divina.

* Vivências de Amor - Volúpia Incerta *
.
Cumprimentos poéticos

Laura Ferreira disse...

Noname, e tempo. tempo é o que me falta, hoje em dia. :)

Laura Ferreira disse...

Isabel, não sei se percebi, mas gosto de te ver aqui. :)

Laura Ferreira disse...

Ana, tenho dias em que assim é.

Laura Ferreira disse...

Graça, é uma coisa que se pode treinar :)

Laura Ferreira disse...

Olvido, tenho tantas saudades. nem sonhas a falta que me faz.

Laura Ferreira disse...

Andreia, sem dúvida. as palavras salvam tanta coisa :)

Laura Ferreira disse...

muito obrigada, Gil :)

Arquivo