16/07/18

rescaldo dia 2


A aranha vaidosa que não se mexe do tecto da recepção.
As famílias que começo a conhecer: as alemãs-lagostas com sandálias que parecem mochilas.
Os casais pequeninos portugueses de mão dada, com sotaque do Norte e bolsinha debaixo do braço.
Os italianos que andam embriagados desde que chegaram e atravessam a piscina com as suas barbas de Vikings.
A mãe e a filha gordas de cabelo igual e saias curtas a fumar ao mesmo tempo que devem ser nórdicas.
A família da linha, avô, avó, tia afastada, tio por parte do pai, primos direitas e tortas, moreníssimas com vestidos branquíssimos.
Os casais de reformados que misturam no mesmo prato: cachopa, peixe grelhado e saladas de cores vivas.
As crianças a tombar de sono.
A música cabo-verdiana arrastada que convida ao arrasta pés.
A pele morena, a piscina a desmaiar na noite, os insetos bêbados com os perfumes, os gatos à espera de comida.
E eu, no meio disto tudo, com medo de não ter olhos que registem isto tudo e com os dedos a dançar no teclado do telemóvel, numa dança apertadinha.
No Stress. É o que se diz por aqui.

6 comentários:

noname disse...

Bora lá minina deixa o tempo passá e disfruuuuta :)

Beijinho
Ai que invejinha ahahahhaha

Cidália Ferreira disse...

Postagem maravilhosa!! Amei!

Beijo e uma excelente semana

Andreia Morais disse...

Observar o que nos rodeia também nos faz desfrutar das experiências!

r: Era das melhores partes do meu dia *-*

Daniela disse...

Texto e imagem, fantástico!

=)
Olhares e Deslumbres

Bjinhos

Janela Indiscreta disse...

Deve ser um cenário maravilhoso! Aproveita :)

Graça Sampaio disse...

Excelente apontamento! (embora nunca lá tenha estado...)

Arquivo