12/12/18

Soraya Madeiro, benjamin barroso, 335


a minha rua era do tamanho do mundo
os amigos estavam lá, a escola, a professora
as bicas nos banhos de chuva
os carros-pipa em tempos de seca
o carro de leite às seis da manhã
o medo da cantoria das procissões de madrugada
– meu quarto era o mais escuro na madrugada
as cartas de amor nunca enviadas debaixo do colchão
as cicatrizes desenhadas nos meus joelhos
hoje, mesmo em outra cidade,
ainda moro na minha rua.


 (in Miragem)

11/12/18

"a caixa", título provisório


Ando a perscrutar cada centímetro da minha pele e órgãos para que pouse tudo o que preciso pousar nesta minha nova peça.

05/12/18

04/12/18

pensamento do dia

Percebo como cresci quando comprovo que trabalho com as mesmas pessoas há mais de vinte anos e há outros tantos que não me chateio com ninguém.

Arquivo