05/09/19

à beirinha da língua, num vai e vem irritante


Passei o dia com uma palavrinha à beira, beirinha da língua.
A querer saltar e transformar-se em som, palavra, frase.
Não saltou, não se transformou. Foi e veio e riu-se de mim porque várias vezes a quis agarrar.
Seduzi-a, em tentativas, com piscadelas, perfume, até um dança maluca, em frente ao espelho.
Nada. Não quis nada comigo.
Não hoje.
Pode ser que amanhã volte transmutada em conto, ideia ou prólogo de romance.
Hoje, não lhe ligo mais.

4 comentários:

noname disse...

Ai que raiva, quando assim é. Mas sim, o melhor remédio é não lhe dar troco. à procura de atenção ela volta ahahahah

Beijinho, Laura

Andreia Morais disse...

Detesto quando isso acontece :o

Cidália Ferreira disse...

Pode acontecer a lembrar da palavra durante a noite!:)

-
Não seria eu ... [ Poetizando e Encantando ]
Beijos e uma boa noite.

luisa disse...

Que desassossego... Acontece-me com frequência isso de palavrinhas fugidias. :)

Arquivo