31/10/19

falta-me


Ando às voltas com este bocado que me falta.
Às vezes és tu. Às vezes é um livro. Outras vezes salsa. Outras vezes limbo.
Podia ser uma pessoa satisfeita. Mas encanta-me esta descontinuidade. Este virar de cabeça constante, este arregalar de olhos, esta mudança pertinaz de direção.
Podia sentar-me ao serão a regalar-me com um filme. Mas não. Ando nas nuvens da casa, nas paredes das palavras. Às voltas com o bocado da tal qualquer coisa que me falta.
Hoje de tarde faltou-me um fósforo, uma folha de papel liso, um gancho e um lápis dos olhos.
Agora já não me falta nada.
Se calhar sento-me no sofá a ver o tal filme.

30/10/19

chaos


No dia em que alguns afazeres das minhas listas profissionais e pessoais deixarem de passar para a semana seguinte, sentir-me-ei muito contente.

25/10/19

se a minha casa voasse mandava-a para o Brasil





se a minha casa voasse mandava-a para o Brasil sem bilhete de volta
para depois ir ter com ela
e procurarmos ambas um cantinho, um violão
e cantaríamos juntas muitas vezes “é melhor ser alegre que ser triste”
e havíamos de nos sentar ao fim da tarde em Ipanema a ver a tarde a cair
e o nosso olhar a acompanhar a cor do mar
com fascinação
enquanto um barquinho se ondulasse, no mar, ao som de um samba de verão,
e quando finalmente chegasse a hora de ambas dizermos “chega de saudade”
voltaríamos para Portugal, de mãozinha dada, a rezar à nossa Santa Rita de Sampa
para nos guiar e fazer chegar bem, em paz.

Arquivo