21/10/19

a mulher-meteorologia


ela sentia-se nublada e outras vezes com períodos de chuva maioritariamente no interior.
ela também se sentia, por vezes, prestes a ser invadida por um qualquer furacão com nome de mulher.
ela sentia também, ainda que muito raramente, rabanadas de vento furiosas, que lhe fustigavam os cabelos e as lágrimas.
mas ela queria sentir-se sempre na primavera ou então imersa em cores quentes de fim de verão.
ela queria só e quase sempre coisas bonitas, mas um dia disseram-lhe que a vida não era só feita dessas coisas bonitas.
andou assim uns dias amuada com a meteorologia e as nuvens.
mas depois passou a aproveitar muitíssimo mais os dias em que fazia quase sempre sol.

phot. by Kilian Schönberger

7 comentários:

noname disse...

Sortuda essa mulher. Eu cá fico com a telha húmida, e é raios e coriscos por todo o lado.

Bom tarde, Laura :)

CCF disse...

Essa sou eu!
(ainda que a aprender a aproveitar esses dias)
~CC~

Cidália Ferreira disse...

O texto é fantástico, a imagem é deslumbrante!

Beijo. Boa noite!

Andreia Morais disse...

É tudo uma questão de perspetiva :)
Adorei!

alaska disse...

eu gosto de dias cinzentos, chuvosos. nesses dias sinto-me livre. :)

um beijo no teu coração, Laura. :)

Luis Eme disse...

Pois... a vida é outra coisa, diferente, Laura...

Janita disse...

Já eu, de uns anos a esta parte, sinto e sei o estado da meteorologia através dos sinais dados pelos meus ossos. Acreditas que não vejo nisso o mínimo vestígio de poesia...? :)

Beijinhos.

Arquivo