31/10/19

falta-me


Ando às voltas com este bocado que me falta.
Às vezes és tu. Às vezes é um livro. Outras vezes salsa. Outras vezes limbo.
Podia ser uma pessoa satisfeita. Mas encanta-me esta descontinuidade. Este virar de cabeça constante, este arregalar de olhos, esta mudança pertinaz de direção.
Podia sentar-me ao serão a regalar-me com um filme. Mas não. Ando nas nuvens da casa, nas paredes das palavras. Às voltas com o bocado da tal qualquer coisa que me falta.
Hoje de tarde faltou-me um fósforo, uma folha de papel liso, um gancho e um lápis dos olhos.
Agora já não me falta nada.
Se calhar sento-me no sofá a ver o tal filme.

4 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Fantástica postagem/ poema...

-
Quisesse eu, expor meu corpo envergonhado
Beijo. Bom fim de tarde!

Esquilinha e as suas coisas... disse...

E que nunca nos falte nada :)
Tarde boa!

noname disse...

É bom quando os bocados que nos faltam, afinal, nem faltavam e há um filme para ver :)
Boa tarde, Laura

Andreia Morais disse...

Há sempre algo que nos falta, por isso é que a nossa caminhada é tão desafiante e emocionante :)

Arquivo