22/11/19

bocados dela em bocados de textos dela


Dêem-lhe um lápis, uma folha de papel em branco e qualquer coisa que mexa, mesmo que ao primeiro olhar pareça inerte.
Façam-na escutar um piado no quintal, uma sonata no andar de cima ou uma pinga na torneira da casa da mãe.
Falem-lhe de raízes, de conversas e de asas.
Depois reservem-na e deixem-na repousar.

Só têm de olhar, por fim, para a folha de papel.
Que já não estará em branco.
E que, à semelhança de muitas outras, conterá bocadinhos dela espalhados em vírgulas, didascálias, prefácios e metáforas.

4 comentários:

alaska disse...

oh Laura que bonito, destes pequenos encontros nascem grandes palavras. :)

um beijo no teu coração. :)

Cidália Ferreira disse...

Uma postagem brilhante!:-)
-
Beijo, e uma boa tarde! :)

Andreia Morais disse...

As maravilhas que uma folha em branco faz *-*

Maria Eu disse...

Uma receita para lá de perfeita!

Beijo, Laura :)

Arquivo