26/06/09

os artistas não deviam morrer

foi o que pensei quando em miúda percebi que os artistas também morrem.
e de facto as pessoas que nos oferecem de si através da musica ou qualquer outra arte deviam ser imortais.
a sua obra é-o de facto, mas isso para mim não chega.
o Michael Jackson povoou a minha existência desde sempre, com a sua musica.
dancei-o com as amiga em coreografias estudadíssimas, ouvi-o em férias com muito calor, vibrei com ele em festas de garagem e festas de verão, a cozinhar ou a conduzir, a tomar duche ou a limpar o pó.
namorei com rapazes invisíveis, no meus 11 anos, ao som de “rock with you”, imaginei-me dentro do clip do “thriller” inúmeras vezes, decorei os passos de dança de “billie jean” e cantei e dancei em Alvalade, no dia 26 de Setembro de 1992, o rol de musicas que se ouviram na primeira e única vez que ele esteve em Portugal.
a música está mais pobre, hoje, seguramente.

“And when the groove is dead and gone (yeah)
You know that love survives
So we can rock forever, on
I wanna rock with you
I wanna groove with you
I wanna rock with you
I wanna groove with you”

12 comentários:

Patti disse...

(chorus)

Feel the beat, feel the beat woo
Rock you in the day (sunlight)
I wanna rock (all night)
Rock the night away


Ainda não estou em mim.

Secreta disse...

Todos nós temos um pouco de artistas...
A imortalidade faz-me confusão.
Beijito.

Teresa Durães disse...

também Farrah Fawcett, dos Anjos de Charlie, morreu. Mais um marco que ficou, quer se goste ou não

PAS[Ç]SOS disse...

Os homens morrem, mas a sua arte perdura enquanto os que a sentiram forem capazes de a não deixar morrer.

Teresa disse...

:)

~*Rebeca*~ disse...

Adorei!

Graça Pires disse...

A música do Michael Jackson "agitou" muita gente...
Um beijo.

~pi disse...

haviam de morrer,

digo eu que

não vejo esta vida

como

a maravilha-maior,



beijo



~

Mateso disse...

Um pequeno mimo lá pelas bandas do azul
Bj.

lysa disse...

Irreverente e excêntrico,sim,mas com um talento extraordinário e inesquecível.Foi e será sempre uma grande referência na música.

Gasolina disse...

Pois não devíam.
É injusto.
Apetecía-me dizer não quero, não deixo.

Assim lembro-o, canto-o, quando puder danço-o.

Uma coisa para ti lá na Árvore.

Aqui, um beijo

Carla disse...

entendo-te...

...para te dizer que já há imagens nos "Desalinhos" do lançamento dos meus "In-Finitos Sentires"
beijo

Arquivo