10/07/09

“o amigo que deixou de ser”

nas amizades eu deixo-me encantar.
entrego-me, confio, ajudo, suporto e… amo. do fundo do meu coração.
confio tão plenamente que invisto todo o meu ser emocional naquele outro… ser.
nunca me passa pela cabeça que possa haver, a partir daquele momentozinho em que decido dar
dar tudo o que tenho - àquele Amigo - que ele possa esquecer ou simplesmente… ignorar.
há muitos anos que o meu coração tinha um grande portão, até ao céu,
e era preciso que alguém soubesse “bater” muito bem, para lá entrar.
e depois de merecer lá ter entrado, saber ir ficando; primeiro à porta, depois cada vez mais para dentro…
até entrar no meu mundo.

às vezes precisamos de chorar os amigos que deixam de estar no nosso coração.


estas palavras são o ponto final do último amigo que eu deixei entrar no meu;
preciso de escrever estas palavras porque nunca as direi pessoalmente,
porque já não há espaço e assim não há motivo
porque esse amigo saiu sem ter avisado, sem sequer me ter dito “obrigada”.

fica a memória, que por ser tão breve em breve se apagará.
ficou a desilusão que por já a ter chorado já se apagou.

e fica o portão aberto, para o meu coração,
para todos aqueles que mereceram um dia lá ter entrado
e de quem serei amiga
até ao fim.

4 comentários:

Teresa disse...

identifico-me muito com este texto... um abraço apertado, porque compreendo. *

pin gente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pin gente disse...

partilho quase todas as tuas palavras... e revejo-me tanto nelas!
fica a excepção.
"fica a memória, que por ser tão breve em breve se apagará.
ficou a desilusão que por já a ter chorado já se apagou."
em mim não se apagou ou apagará a memória... nada se apaga, mesmo depois de a chorar!
talvez fosse melhor...

um beijo
luísa

Anónimo disse...

Todos temos estas memórias que cremos breves para se apagarem. Nunca o são, ficam sempre num canto para mais tarde nos relembrarmos de como foi, bom e mau, ter esse “amigo”.
Partilho um sentimento que as tuas palavras me transmitem além de poder não ser o mesmo com que as escreveste. :)

Arquivo