19/11/10

chuva

Já vi várias formas de chuva.
Já apanhei muita chuva e praguejei.
Já tomei um banho de mar de água morna com chuva e relâmpagos e, embora estivesse assustada, adorei.
Já vi chover atrás de um vidro e vi gotas a chorar a janela.
Já vi chover beijos e maldições.
Já senti, na pele, a chuva de um dia feliz e a chuva de um dia amargurado.
Já vi chover palmas, presentes e gente.
Já chorei com o beijo à chuva, da Audrey Hepburn e do George Peppard.
Já vi chuva furiosa, “molha-tolos” e miudinha.
Mas há pouco vi folhas, a chover das árvores a dançar com o vento numa oscilação bem ensaiada.
E fiquei com o coração apertado de puro deleite e dos olhos choveram-me palavras.

1 comentário:

Luis Eme disse...

e ainda bem que choveram palavras...

Arquivo