29/06/11

fly me to the moon

phot. Nadia Moro

quero dizer-te apenas que sim
que voo parada
flutuo enquanto durmo
e que o meu corpo se tornou mais leve
que um fragmento de ar.
quero dizer-te apenas que sim
que julgava ter perdido a capacidade de voar
e que neste momento
sou mais feliz que qualquer pássaro livre.

1 comentário:

Nilson Barcelli disse...

Voar é viver...
Gostei do teu poema, belíssimo.
Um beijo, Laura.

Arquivo