02/06/11

a minha varanda da sala

phot.  Maurizio Marcato

a minha varanda da sala não é uma varanda de revista.
pelo contrário. é uma varanda exígua mas ao mesmo tempo suficiente para ter
2 bancos pequenos e algumas plantas.
a minha varanda da sala é portanto pequena e a vista que dela se avista
é uma vista pouco interessante.
a auto-estrada ao fundo, uma carreirinha de casas todas iguais,
e umas quantas montanhas, ao fundo, que já foram lambidas pelo fogo.
a minha varanda da sala não é, portanto, uma varanda que eu queira mostrar aos outros
com um sorriso orgulhoso.
mas a minha varanda é para mim a melhor varanda
porque me permite
adormecer acordada, a seguir ao jantar, e acordar para ir adormecer antes de me deitar.
da minha varanda da sala eu descortino riscos no céu, de aviões,
que eu insisto em pensar que voam, felizes,
já que para mim quem voa para viajar, é feliz.
da minha varanda da sala eu antevejo um dia de verão porque as estrelas tal o anunciam.
da minha varanda eu vejo a lua do céu a olhar para a lua da minha perna.
da minha varanda vejo gatos nos telhados a absorver o calor do dia
e vejo crianças de triciclo com vozes finas a aproveitar o fresco da noite.
da minha varanda da sala penso no dia de hoje e no dia de amanhã
no que perdi e no que ganhei
faço balanços difíceis mas faço-o porque as estrelas me fazem companhia
e os riscos dos aviões me fazem acreditar no futuro.
na minha varanda da sala eu consigo mergulhar no torpor
de uma serenidade que hoje em dia sinto
e que é muito parecida com a imagem que, embora não seja muito bonita,
tenho da minha varanda.
não é bonita mas faz-me serena e feliz.
não é grande mas faz-me aconchegada e mimada.
não é de revista mas faz-me sentir única e especial.
porque quando me sinto assim, serena e feliz.
consigo descobrir beleza onde ela não existe.
mesmo na minha varanda da sala.

3 comentários:

Luis Eme disse...

gostei desta Laura "Caeiro".

Graça Pires disse...

Esta varanda da sala é fantástica porque tem o olhar de quem sabe ver...
Um beijo, Laura.

Mar Arável disse...

Fiquei a imaginá-la

à varanda

e gostei do que li

Arquivo