29/07/11

a mulher que esperava o amor

phot. pedro tudela   /   http://instagrid.me/pedrotudela/


ainda não te encontrei mas já gosto de ti.

gosto de ti com a intensidade de quem fica, à noite, a olhar para o tecto com um sorriso tonto
e a ferver por dentro.
gosto de ti desgrenhada e a acabar de acordar
e sei que vais gostar de mim mal-humorada ou de pijama ultrapassado.
ainda não sei o teu nome mas já gosto de ti.
gosto de ti com a imaturidade da adolescência
e o lume irrefreável das paixões das idades maduras.
e sei que vais gostar de mim aparvalhada, séria, chorosa ou com medo de uma coisa estúpida.
não sei se és alto ou baixo mas gosto de ti.
e sei que vou reconhecer-te entre a multidão, entre mil, mesmo que sejas só uma sombra
com aquela astúcia no olhar que só o amor consegue trazer.
e sei que vais gostar de mim de óculos, de pantufas, com borbulhas na cara e sem maquilhagem.
ainda não sei o teu nome mas já te chamo amor.
e chamo-te quando aparece uma aranha ou quando preciso de um abraço
quando há trovoada ou quando quero saber se umas calças me ficam bem
quando estrago um colar ou não consigo abrir uma garrafa de vinho
quando preciso de mergulhar nos teus olhos
e quando preciso da familiaridade do contacto da tua pele.
e sei que vais gostar de mim de havaianas ou meias com buracos,
de calças rotas ou verniz estalado.
e terás nos olhos, sempre que me olhares,
o escuro do desejo que se sente quando se deseja alguém.
não sei se vais demorar muito tempo
- sei que existes, isso sei –
mas por favor, não demores muito.
nunca se sabe o dia de amanhã.
é que, sabes, preciso de ti.

1 comentário:

Luis Eme disse...

também ainda não te encontrei e gosto de ti. :)

Arquivo